Blog

Índice confirma retomada gradual da economia catarinense

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) divulgou nesta quinta-feira (5) o “Boletim dos Indicadores Econômicos e Financeiros do Estado de Santa Catarina”, referente ao mês de outubro. Os dados fornecidos indicam que a economia está se recuperando gradativamente. “No entanto, a forma como a recuperação ocorre é diferente entre o setor e o setor econômico. O economista da SDE Paulo Zoldan enfatizou que o impacto no sistema econômico não foi tão forte quanto o inicialmente esperado.

No que diz respeito à indústria, ela teve seu primeiro recorde consecutivo em agosto.” Quatro meses de crescimento, mas neste ano, o volume real de produção ainda foi 11,9% menor que no mesmo período do ano passado.Embora o crescimento tenha sido de apenas 0,1%, o único crescimento no ano foi a indústria de alimentos.

As obras civis estão sendo restauradas. As vendas de materiais de construção estão crescendo, o departamento está contratando, e o principal impulsionador desse crescimento são os projetos de autoconstrução e imobiliários.

Setembro foi o quarto mês consecutivo de contratações no Estado, o de maior saldo de novos postos gerados no pós-pandemia e também o melhor resultado da série histórica para o mês em 16 anos.O varejo ampliado catarinense também cresceu pelo quarto mês consecutivo.

Com isso, o volume de vendas no acumulado do ano já atingiu o mesmo patamar de 2019.Os resultados na indústria e comércio levaram a uma reação do mercado de trabalho.Foram 24.827 postos gerados, o terceiro maior saldo do país, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais.Com o resultado, o estado já reverteu as perdas da pandemia: no acumulado do ano, a economia estadual já contabiliza um saldo de 921 novos postos formais gerados.Vários polos do estado estão na busca pela reversão dos resultados negativos o que deve se consolidar com os resultados do CAGED de outubro, caso os padrões sejam mantidos.

 

0 comentário em: “Índice confirma retomada gradual da economia catarinense

Deixe uma resposta